Início Tecnologia Há 25 anos, o Napster mudou para sempre a forma como ouvimos...

Há 25 anos, o Napster mudou para sempre a forma como ouvimos música

28
0

O Napster, uma plataforma gratuita de compartilhamento de música on-line, foi criada há 25 anos. Não durou muito, mas vemos como causou mudanças duradouras na forma como consumimos música.



(SOUNDBITE DA MÚSICA TLC, “SEM SCRUBS”)

AYESHA RASCOE, ANFITRIÃ:

Ouvir música period radicalmente diferente em 1999. Naquela época não havia streaming, então esperava-se que você comprasse os álbuns que desejasse. August Brown cobre a indústria musical para o Los Angeles Occasions. Ele se lembra do que period preciso para ouvir uma música fora das estações de rádio ou em canais de TV musicais como a MTV. Você precisava comprar CDs ou cassetes.

AUGUST BROWN: Você estava bastante limitado pelo formato físico. Você sabe, as pessoas obviamente copiaram músicas de CDs e as colocaram em seu computador para que você pudesse fazer mixagens personalizadas para um aspirante a ente querido. Mas, no geral, ainda havia uma conexão muito estreita entre um objeto físico e a maneira como você vivenciava a música no mundo.

RASCOE: Mas tudo isso mudou há 25 anos, em 1º de junho de 1999, com o lançamento do Napster, uma plataforma on-line que permitia aos fãs fazer add de músicas e compartilhá-las gratuitamente – em outras palavras, compartilhamento de arquivos peer to see. E sinalizou uma mudança radical na forma como consumimos música, tornando-se inicialmente widespread entre os estudantes universitários.

BROWN: O advento da Web de alta velocidade nos campi universitários, que permitiu conexões muito mais rápidas do que a maioria das pessoas já havia experimentado, você sabe, na AOL discada em suas casas, e permitiu que as pessoas publicassem seus catálogos de músicas em MP3 e permitir que praticamente qualquer pessoa que estivesse usando o Napster tivesse acesso a eles.

RASCOE: Com acesso ilimitado à música gratuita, o impacto do Napster foi imediato.

(SOUNDBITE DA CANÇÃO DE RICKY MARTIN, “LIVIN’ THE VIDA LOCA”)

BROWN: Em questão de semanas e meses, instantaneamente se tornou a maior mudança na indústria musical, sem dúvida desde o disco de vinil.

RASCOE: Brown diz que o Napster também evitou que os fãs precisassem comprar um álbum completo quando eles gostavam apenas de algumas músicas.

BROWN: A ideia de que você poderia separar músicas individuais de um álbum obviamente existia desde o início da indústria fonográfica, mas agora os fãs podiam fazer isso, e podiam fazer isso sem pagar um centavo por nada.

RASCOE: Algumas bandas menores apreciaram a exposição que tiveram no Napster. Mas para artistas maiores, o Napster significou perda de receita nas vendas de álbuns, e eles reagiram.

(SOUNDBITE DA MÚSICA DO METALLICA, “ENTER SANDMAN”)

RASCOE: O baterista do Metallica, Lars Ulrich, testemunhou perante o Congresso em 2000, dizendo aos legisladores que o Napster tinha essencialmente, entre aspas, “sequestrado” sua música.

(SOUNDBITE DA GRAVAÇÃO ARQUIVADA)

LARS ULRICH: Devemos decidir o que acontece com a nossa música, e não uma empresa sem direitos sobre nossas gravações, que nunca investiu um centavo em nossa música ou qualquer coisa relacionada à sua criação. A escolha nos foi tirada.

RASCOE: A banda ficou especialmente indignada com o fato de uma de suas faixas estar disponível no Napster antes de ser lançada oficialmente. O Metallica levou o Napster ao tribunal e venceu. Mesmo assim, muitos fãs reagiram criticando Ulrich e outros artistas que criticaram o Napster, vendo-os como defensores dos interesses das grandes gravadoras. E embora tudo isto tenha acontecido há um quarto de século, a luta entre artistas e empresas de tecnologia, que agora transmitem música e recebem uma parte dos lucros, continua em curso. Mas a ironia, diz Brown, é que a opinião pública mudou. Naquela época, o Napster e seus imitadores subsequentes eram vistos como músicas libertadoras para os fãs que se sentiam prejudicados pelas gravadoras com álbuns caros. Mas agora…

BROWN: Foi a indústria tecnológica que esmagou os artistas. Você sabe, há uma geração que os artistas ouvem que, ah, é melhor doar sua música de graça para fins de advertising, e agora eles estão percebendo que conseguiram, você sabe, o fim desse acordo e estão resta, você sabe, não receber nada, enquanto essas grandes empresas sem rosto, você sabe, colhem todos os benefícios da publicidade além disso.

RASCOE: O Napster não durou muito. As batalhas legais levaram ao seu desaparecimento apenas três anos após o seu lançamento, mas o seu impacto na indústria musical permanece.

(SOUNDBITE DA MÚSICA, “… BEBÊ MAIS UMA VEZ”)

BRITNEY SPEARS: (cantando) Oh, querido, querido…

RASCOE: Os fãs se acostumaram a conseguir músicas individuais baratas. A loja de música da Apple, iTunes, tornou-se um grande sucesso vendendo músicas por 99 centavos para tocar em um iPod ou laptop computer. As plataformas de streaming atuais, como o Spotify, oferecem um catálogo de música praticamente ilimitado por uma assinatura mensal baixa. Mas Brown diz que o principal legado do Napster pode ser o que ensinou a outras startups tecnológicas como a Uber e a Airbnb – que é possível perturbar uma indústria estando à frente das regulamentações on-line.

BROWN: Acho que o impacto actual do Napster não é apenas o advento do streaming, mas para a indústria de tecnologia em geral. Eles aprenderam que você pode simplesmente fazer algo benéfico para si mesmo e, se conseguir crescer com rapidez suficiente, a indústria terá que se curvar diante de você antes que a lei possa alcançá-lo.

RASCOE: Em outras palavras, quanto mais as coisas mudam, mais elas permanecem as mesmas.

(SOUNDBITE DA MÚSICA, “… BEBÊ MAIS UMA VEZ”)

SPEARS: (Cantando) …Um sinal. Bate-me bébé mais uma vez.

Direitos autorais © 2024 NPR. Todos os direitos reservados. Visite as páginas de termos de uso e permissões do nosso website em www.npr.org para obter mais informações.

As transcrições da NPR são criadas em um prazo urgente por um contratante da NPR. Este texto poderá não estar em sua forma last e poderá ser atualizado ou revisado futuramente. A precisão e a disponibilidade podem variar. O registro oficial da programação da NPR é o registro de áudio.

Fonte