Início Notícias Sunak, do Reino Unido, pede desculpas por deixar os eventos do Dia...

Sunak, do Reino Unido, pede desculpas por deixar os eventos do Dia D mais cedo para fazer campanha

31
0

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, sofreu um novo revés em sua difícil campanha eleitoral na sexta-feira, quando se desculpou por ter saído mais cedo das comemorações do Dia D para dar uma entrevista atacando o principal partido da oposição.

A decisão de Sunak de não permanecer no evento no norte da França ao lado de outros líderes mundiais na quinta-feira foi recebida com consternação dentro do seu Partido Conservador, que enfrenta a perspectiva de uma enorme derrota em 4 de julho, de acordo com pesquisas de opinião.

O líder do Partido Trabalhista da oposição, Keir Starmer, permaneceu na Normandia durante os eventos do 80º aniversário do Dia D e foi visto conversando com líderes, incluindo o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy.

“Pensando bem, foi um erro não ficar mais tempo, e peço desculpas por isso, mas também não acho que seja certo ser político no meio das comemorações do Dia D”, disse Sunak aos repórteres. “O foco deveria estar justamente nos veteranos.”

A história continua abaixo do anúncio


Clique para reproduzir o vídeo: 'Dia D: a eterna gratidão da França pelo sacrifício do Dia D do Canadá'


Dia D: a eterna gratidão da França pelo sacrifício do Dia D do Canadá


Sunak disse que seus planos de viagem foram definidos muito antes do início da campanha eleitoral nacional.

O presidente dos EUA, Joe Biden, o rei Charles da Grã-Bretanha e outros líderes reuniram-se para assinalar o aniversário dos desembarques aliados, um ponto de viragem na Segunda Guerra Mundial.

Notícias de última hora do Canadá e de todo o mundo enviadas para seu e-mail, na hora.

Sunak falou em um evento liderado pelos britânicos, mas delegou outras funções a ministros, incluindo o secretário de Relações Exteriores David Cameron, que foi fotografado com Biden, o presidente francês Emmanuel Macron e o chanceler alemão Olaf Scholz em uma cerimônia memorial.

Questionado sobre a sua resposta ao erro de Sunak, um político conservador normalmente leal disse à Reuters: “Não posso explicar e não o farei”.

O legislador, que pediu para não ser identificado, disse que a decisão de Sunak pode acabar se tornando o “momento Gillian Duffy” da campanha – uma referência a 2010, quando o então primeiro-ministro Gordon Brown teve que se desculpar por ter sido filmado telefonando para um eleitor “. uma mulher preconceituosa”, vista como um ponto de viragem numa campanha que Brown acabou por perder.

A história continua abaixo do anúncio

O Partido Conservador de Sunak está cerca de 20 pontos atrás do Partido Trabalhista, da oposição, nas pesquisas de opinião.

Sua campanha começou mal no mês passado, quando ele anunciou a knowledge da eleição sob uma chuva torrencial, competindo para ser ouvido contra os apoiadores trabalhistas que cantavam uma música pop associada à esmagadora vitória do partido nas eleições de 1997.

Esta semana, ele sofreu outro revés quando o ativista do Brexit, Nigel Farage, assumiu a liderança do partido de direita Reform UK e disse que concorreria às eleições.


Clique para reproduzir o vídeo: 'Dia D: como o Canadá honrou o 80º aniversário da invasão histórica'


Dia D: Como o Canadá honrou o 80º aniversário da invasão histórica


‘Dor política’

Sunak tentou apresentar-se como a pessoa em melhor posição para cuidar da segurança britânica e prometeu recentemente introduzir o serviço nacional obrigatório se vencer as eleições.

Chris Hopkins, diretor de pesquisa política da empresa de pesquisas Savanta, disse que Sunak já period visto pelos eleitores como fora de alcance.

A história continua abaixo do anúncio

O mais recente “erro de julgamento político parece quase guiado por laser ao causar a Rishi Sunak e ao Partido Conservador tanta dor política quanto humanamente possível”, disse ele.

O porta-voz trabalhista sênior, Jonathan Ashworth, acusou Sunak de “optar por priorizar suas próprias aparições vaidades na TV em vez de nossos veteranos” e “é ainda mais desespero, ainda mais caos e ainda mais julgamento terrível”.


Clique para reproduzir o vídeo: 'O primeiro-ministro britânico Rishi Sunak propõe serviço nacional obrigatório para jovens de 18 anos se forem reeleitos'


O primeiro-ministro britânico Rishi Sunak propõe serviço nacional obrigatório para jovens de 18 anos se for reeleito


O líder liberal democrata Ed Davey acusou o primeiro-ministro de “whole abandono do dever”.

Na entrevista à ITV na quinta-feira, Sunak dobrou as afirmações desta semana de que se os trabalhistas ganhassem o poder, aumentariam os impostos em 2.000 libras (2.500 dólares) por família.

O Partido Trabalhista nega ter tal plano e acusou Sunak de mentir por alegar que a estimativa veio do serviço público, que disse não a endossar. O chefe do órgão de vigilância estatística da Grã-Bretanha disse na quinta-feira que os conservadores deveriam ser mais claros sobre a origem das afirmações de Sunak.

A história continua abaixo do anúncio

(Reportagem de William James, Andrew MacAskill e Muvija M; edição de William Schomberg)



Fonte