Início Notícias Rússia proíbe o Moscow Instances, chamando-o de “indesejável”

Rússia proíbe o Moscow Instances, chamando-o de “indesejável”

19
0

A Rússia classificou O Times de Moscou como uma “organização indesejável”, proibindo suas atividades dentro da Rússia e deixando qualquer um que coopere com ela exposto a processo legal.

Moscou intensificou uma campanha contra a mídia e as reportagens independentes desde que lançou sua ofensiva militar em larga escala na Ucrânia em fevereiro de 2022.

“Foi tomada uma decisão para declarar as atividades do The Moscow Instances, uma organização não governamental estrangeira, indesejáveis ​​no território da Federação Russa”, disse o gabinete do procurador-geral da Rússia em um comunicado.

Ele disse que o veículo tinha como objetivo “desacreditar as decisões da liderança da Federação Russa tanto na política externa quanto na interna”.

O Moscow Instances, que publica em inglês e russo e cobre o país desde o início dos anos 1990, mudou-se para Amsterdã depois que a Rússia lançou sua ofensiva militar em larga escala na Ucrânia.

O standing “indesejável” força as organizações a fecharem na Rússia e significa que os russos que trabalham, financiam ou colaboram com elas também podem ser passíveis de processo – incluindo até cinco anos de prisão por algumas atividades.

“É claro que continuaremos com nosso trabalho como sempre: jornalismo independente. Isso é um crime na Rússia de Putin”, disse o fundador do Moscow Instances, Derk Sauer, em um submit no X, antigo Twitter.

Os russos foram até mesmo multados por republicar hyperlinks da net e artigos publicados por “organizações indesejáveis”, relatou o website independente Mediazona.

O website on-line, que durante anos publicou um jornal em inglês em Moscou, é well-liked entre observadores da Rússia no exterior.

Também serviu como campo de treinamento para vários jornalistas que se tornaram correspondentes estrangeiros de alto nível.

pular promoção de boletim informativo anterior

O repórter americano Evan Gershkovich, preso no ano passado sob acusações de espionagem rejeitadas por ele e seu empregador, trabalhou em Moscou para o veículo no início de sua carreira.

A Rússia usou o rótulo de “organização indesejável” para atingir veículos de comunicação e ONGs que, segundo ela, financiam a oposição e se opõem ao Kremlin.

Os críticos criticaram a lei como uma ferramenta repressiva usada para reprimir a dissidência.

Fonte