Início Entretenimento ‘Presumed Harmless’ é uma história de dois julgamentos – no tribunal e...

‘Presumed Harmless’ é uma história de dois julgamentos – no tribunal e em casa, afirma a estrela Jake Gyllenhaal – Tribeca Pageant

34
0

Dois julgamentos acontecem na nova adaptação para Apple TV + do thriller jurídico best-seller de 1988 do advogado-romancista Scott Turow, Presumivelmente inocente: o processo felony contra um promotor de Chicago acusado de assassinar um colega e o pesadelo doméstico que o julgamento do assassinato impõe à família do acusado.

Essas provações paralelas se destacaram para o ator Jake Gyllenhaal, que estrela a série limitada de oito episódios que estreia na quarta-feira e vai até 24 de julho. Presumivelmente inocente no Tribeca Movie Pageant em Nova York, Gyllenhaal falou em um painel de discussão com o showrunner e escritor David E. Kelley e dois diretores, Anne Sewitsky e Gregg Yaitanes, sobre “o julgamento da família e o julgamento actual” e “a justaposição entre os dois.”

“Por mais brilhantes que sejam a escrita e a atuação nas cenas do tribunal, eu realmente acho que a casa também se torna como se fosse seu próprio tribunal”, disse Gyllenhall para um teatro lotado que assistiu aos dois primeiros episódios.

Gyllenhaal interpreta Rusty Sabich, que se torna o principal suspeito do bárbaro assassinato da colega promotora Carolyn Polhemus, com quem estava tendo um caso intenso. Sabich, que é casado e tem filhos, proclama a sua inocência no assassinato, mas não tem álibi para os danos infligidos à sua família.

É o primeiro projeto de streaming do astro de cinema Gyllenhaal, e ele passou 6 meses e meio no papel. Ele também é um dos produtores executivos do programa, junto com Kelley e JJ Abrams.

À medida que a investigação avança e a profundidade da obsessão de Sabich pela sua amante assassinada se torna clara, o outrora respeitado promotor encontra colegas que se voltam contra ele, juntamente com a máquina do sistema judicial ao qual ele dedicou a sua vida profissional. Em casa, ele enfrenta sua devastada esposa, Barbara, interpretada por Ruth Negga, e dois filhos adolescentes, Jaden e Kyle, interpretados por Chase Infiniti e Kingston Rumi Southwick.

“Lembro-me de falar com David muito, muito cedo e dizer que a família period a coisa mais interessante para mim”, disse Gyllenhaal.

Oito episódios deram aos produtores de Presumed Harmless mais tempo do que a versão cinematográfica de 1990 para explorar o impacto do julgamento na vida doméstica do promotor caído. Mas os dois primeiros episódios não se limitam à intriga jurídica e política que ajudou a tornar o livro um best-seller, adaptado para um filme de 1990, com Harrison Ford liderando um elenco de estrelas.

Peter Saarsgard – cunhado de Gyllenhaal na vida actual – interpreta Tommy Molto, o promotor que lidera o caso contra seu ex-rival de gabinete, Sabich, a quem ele substituiu como principal deputado do gabinete. O chefe de Molto, o recém-eleito procurador do estado de Chicago, Nico Della Guardia, é interpretado por OT Fagbenle, e a intrigante dupla de Molto e Della Guardia ataca seu ex-colega que virou presa com um zelo que é quase impróprio.

Sabich e Molto entram em conflito quase desde o início, e Gyllenhaal disse que foi uma “alegria” trabalhar com Saarsgard, a quem ele chamou de “o guru atuante de nossa família”.

“Acho que as pessoas ficaram animadas para ver o que aconteceria no set entre nós nas cenas”, disse Gyllenhaal, “e isso apenas nos deu mais combustível”.

Enquanto isso, Sabich é defendido no tribunal por seu ex-chefe, Raymond Horgan, que Della Guardia destituiu nas eleições. Invoice Camp interpreta Horgan como um velho e atormentado guerreiro do tribunal e político derrotado que aceita Sabich como cliente, apesar de sua fúria ao perceber que Sabich o traiu e possivelmente lhe custou a eleição ao retardar a investigação de alto nível sobre a morte de Polhemus.

Nos dois primeiros episódios, o público vê Polhemus, interpretada por Renate Reinsve, em flashbacks que revelam a intensidade de seu caso com Sabich e revelam sua própria conduta eticamente questionável em um caso de assassinato anterior, com paralelos perturbadores com seu próprio assassinato horrível.

Turow, co-produtor executivo do programa que estava na plateia no domingo, levantou-se a pedido de Kelley para receber uma salva de palmas. Questionado pela moderadora Jessica Shaw sobre os desafios de modernizar a história para uma nova period de coleta de evidências e vigilância diária por câmeras, Kelley disse: “Eu realmente descobri que a arquitetura do livro period tão sólida que não tivemos que fazer muito. de mudanças completas para acertar hoje.”

“É uma prova da escrita de Scott”, acrescentou Kelley. “Ele conhece a lei e conhece os personagens.”

O livro de Turow é em partes policiais, drama de tribunal e estudo implacável do caráter ethical. Ele também co-escreveu o roteiro de 1990 com o diretor Alan J. Pakula. Segundo Turow, o sistema de justiça felony é tão imperfeito quanto as pessoas que nele trabalham – os polícias, os advogados, os investigadores e os juízes encarregados de procurar a verdade e de administrar a lei, mesmo quando esses objectivos entram em conflito.

Kelley conhece bem a dramatização de conflitos jurídicos, tendo criado A prática, Jurídico de Bostone Aliado McBeal.

“O que eu acho que David faz tão bem é que ele os escreve com muita riqueza, esses personagens moralmente ambíguos”, disse Gyllenhaal.

Turow, que conversou com o Deadline ao entrar no teatro, disse que não tinha uma teoria sobre o porquê Presumivelmente inocente estava voltando às telas 34 anos depois.

“Eu realmente não posso te dizer por quê”, disse ele. “Na verdade, pode ter sido a série Perry Mason na HBO. Mas Dustin Thomason, do Unhealthy Robotic, David – que conheço há anos – me ligou com três semanas de diferença e disse: ‘É hora de refazer Presumed Harmless’. Então, novamente, não sei se é algo na água ou o que period.”

Seja qual for o motivo, Turow disse: “Eles fizeram um trabalho incrível”.

Fonte

Artigo anteriorO Missionário na Cozinha
Próximo artigoMixtape traz uma trilha sonora matadora dos anos 80 para Xbox, PS5 e PC em 2025
Leonardo Azevedo
Sou um profissional de comunicação especializado em notícias de tecnologia. Com uma vasta experiência na cobertura de eventos e lançamentos no setor de tecnologia, tenho um profundo conhecimento sobre as últimas tendências e inovações. A minha paixão por tecnologia e a minha capacidade de comunicar de forma clara e concisa tornam-me um recurso valioso para qualquer audiência interessada em estar atualizada sobre o mundo digital. Com um estilo formal e objetivo, procuro sempre fornecer informações precisas e relevantes, mantendo-me sempre atualizado sobre as novidades do mercado. Estou comprometido em oferecer conteúdo de qualidade e em manter os leitores informados sobre as últimas novidades tecnológicas.