Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Review Orange – A primeira carta (Episódio 01)

Informações Gerais

Orange é um anime shojo produzido pela TMS Entertainment e dirigido por Hiroshi Hamazaki, com roteiro de Yuuko Kakihara. Trata-se da adaptação do mangá homônimo, escrito e ilustrado por Ichigo Takano, lançado pela primeira vez no ano de 2012 pela revista Bessatsu Margaret, publicada mensalmente pela Shueisha Publishing no Japão. O anime, por sua vez, saiu no dia 4 de julho de 2016.

orange-anime-primeiras-impressc3b5es-episc3b3dio-1-102

Episódio 01 – A primeira carta

Logo no início do primeiro episódio somos apresentados à premissa que move a série. Naho Takamiya é uma jovem de dezesseis anos que recebe uma carta escrita por ela mesma dez anos no futuro. Nesta carta, a sua contraparte de vinte e seis anos alerta a Naho do presente acerca dos arrependimentos que fora condenada a carregar para o resto de sua vida e pede para que ela tome determinadas decisões em momentos que, segundo ela, serão cruciais no futuro. Um dos seus maiores arrependimentos, segundo a carta, está ligado à morte de Kakeru, um aluno recém-transferido de Tóquio que viria a integrar o seu grupo de amigos.

Trata-se, sem sombra de dúvidas, de uma ideia forte e comovente com a qual podemos nos conectar emocionalmente sem grandes dificuldades, afinal, todos fazemos escolhas das quais podemos eventualmente nos arrepender. Inclusive, se expandirmos nossos horizontes para analisar outras histórias que tratam de viagens no tempo, boa parte delas parte do princípio de concertar erros cometidos no passado em prol de evitar as suas respectivas consequências no futuro.

Quando somamos a trilha sonora com os diálogos das personagens, muitas vezes despretensiosos e cotidianos, a iluminação das cenas e a montagem do episódio, temos uma atmosfera que varia sutilmente do tranquilo e até mesmo bucólico, no sentido de que se apresenta sem malícias, palpado muito mais numa ideia de ingenuidade, até o melancólico (suave). Características essas que, somadas à tensão criada pouco a pouco ao longo do episódio, se encaixam perfeitamente na sua proposta de ser um anime slice-of-life.

Orange-anime-image-124.jpg

Um dos maiores problemas deste primeiro episódio, a meu ver, está ligado às reações esboçadas por Naho quanto à carta recebida do futuro. Vale a pena ressaltar que as informações contidas no envelope, se verdadeiras, seriam capazes de transformar drasticamente os rumos da sua vida. Em outras palavras, trata-se de tudo, menos de um acontecimento trivial. A protagonista chega a esboçar perplexidade e parece até mesmo aterrorizada no momento em que os primeiros acontecimentos descritos na carta se concretizam, entretanto, a sua luta entre acreditar ou não na veracidade das informações ali descritas poderia ter sido mais bem explorada.

O uso frequente de still frames nas montagens ajuda a passar alguns acontecimentos de forma resumida sem perder a sua importância narrativa. Como exemplo, podemos citar o momento em que Naho, Kakeru e seus amigos saem juntos depois da escola. Após um breve momento de diálogo no qual as características das personagens são aprofundadas, segue-se uma montagem que, além de mostrar a diversão e a interação do grupo, ajuda a reduzir o custo da animação.

Veredicto

Trata-se, no fim das contas, de um bom primeiro episódio, capaz de apresentar de forma consistente a dinâmica entre as personagens, além de estabelecer a premissa de toda a série. Embora o tom seja leve, o episódio consegue construir a tensão necessária para manter o espectador interessado na trama, assim como estabelece incógnitas e ganchos que serão retomados com os demais episódios. Assim como muitos animes do gênero, existem momentos de drama over the top, mas nada que diminua a experiência daqueles que se interessam pelo estilo de narrativa.

Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Escrito por Felipe Augusto

Felipe Augusto

Estudante de Arquitetura e Urbanismo apaixonado por filmes, jogos e séries. Meu ponto fraco é o meu amor por dinossauros. Não importa o quão ruim um filme seja, se tiver dinossauros eu vou assistir e provavelmente gostar.

23 posts