Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Os 15 melhores fan films feitos fora de Hollywood

Fan Films, assim como Fanfics, são um nicho que se expande a cada ano, aumentando tanto sua relevância dentro dos fandoms (o conjunto de fãs de algo) quanto a qualidade em suas produções. Existem duas categorias principais desses filmes: os profissionais – feitos por produtoras, diretores e/ou atores profissionais – e os não-profissionais, feitos por fãs mesmo, com menores orçamentos e recursos, mas que não necessariamente perdem em qualidade. Eles também podem ser canônicos (a filmagem de uma cena/passagem que existe no original, como por exemplo o The Hunt of Gollum), semi canônicos (onde um fato na série/filme/livro não foi bem explorado e os fãs tratam de fazer isso, como em Weeping Willow, em que é explorado o 54º Jogos Vorazes, que é apenas citado na obra original) ou um universo alternativo (em que acontece algo fora da original, como Batman Dead End, que é um crossover). Em geral esses filmes são feitos para agradar o público daquele fandom, com gags ou um contexto que o público em geral provavelmente não irá entender ou desfrutar tão bem quanto um fã; esses filmes podem variar de poucos minutos há horas, e podem ou não ter sequências.

Na lista vou citar alguns dos meus favoritos, mas que não representam a totalidade desse universo gigantesco. E a maioria está legendado, sendo alguns poucos com apenas áudio em inglês disponível; entretanto, a maioria deles é de ação e com poucos diálogos, e sem nenhuma ordem particular de preferência.

Chapulin

Um Chapolin adulto com toques de Tarantino – essa é a melhor descrição possível para este fan film feito com o “Chapolin Colorado Junior”, o filho do lendário herói mexicano que decide seguir os passos do pai, só que de uma maneira um pouco mais…drástica, que incluem armas e assassinato. São duas partes de aproximadamente dez minutos cada, em espanhol com legendas em inglês. E notem, por favor, a trilha sonora da cena da em que o Polegar Vermelho luta contra os capangas ninjas dentro da piscina, na segunda parte do filme.
[youtube id=”jfnM2BlMnGs”]

Dead End

Batman Dead End é um clássico dos fan films. Feito em 2003 por Sandy Collora, ele traz o Morcego enfrentando seu inimigo mais clássico, o Coringa, que fugiu novamente do Arkham. Só que, durante, o confronto aparecem novos inimigos para enfrentar o morcegão – ninguém menos que o Alien e o Predador (sim!!!). O sucesso entre os fãs foi tão grande que a diretora produziu uma sequência (na verdade um fan trailer para um filme que nunca veio a acontecer) chamado Worlds Finest, que traz Batman e Superman enfrentando Lex Luthor e o Duas Caras.
[youtube id=”vUQ0jrIuHQA”]

Dirty Laundry

Este é outro clássico dos fan films, contando com Thomas Jane (o próprio Justiceiro do filme de 2004, aquele com o John Travolta) e o diretor Adi Shankar, Dirty Laundry traz exatamente o espírito do personagem dos quadrinhos – isto é, quando engrena, porque o filme parece um tanto lento no início, mas do meio pro final “é só tiro, porrada e bomba”.
[youtube id=”pu_CLS7sA_w”]

Batman versus The Terminator

Batman versus The Terminator é uma animação recente. Com cerca de 5 minutos, o filme traz o futuro apocalíptico da franquia O Exterminador do Futuro com a presença do Morcego, em uma versão 30 anos mais velha, mas que não perdeu nada de sua força e inteligência e que, ao encontrar o rádio de um soldado morto, descobre as forças de Resistência e decide se juntar ao único capaz de acabar com a ameaça das máquinas: John Connor.
[youtube id=”gDYyAAdtDfk”]

The Recall

Temos aqui um filme de Spawn que é MUITO bom, um dos meus favoritos da lista, tão melhor que o filme oficial de 1997 que Hollywood deveria se envergonhar (e não, ser de 1997 não é desculpa. MIB e Jurassic Park são do mesmo ano). Em The Recall uma ex-bruxa perde seu filho dentro de um supermercado e, enquanto o procura, a criança encontra O Violador e o próprio Soldado do Inferno, que está querendo trazer a bruxa de volta ao lugar a qual pertence.
[youtube id=”Gn4Nm8eIe-c”]

Weeping Willow

Seria possível fazer uma lista apenas de fan films bons de Jogos Vorazes. A “mitologia” da série permite uma infinidade de variáveis, personagens e 74 arenas de games (e horrores) diferentes, a estranha e poderosa Capital, além é claro de poder explorar o tempo antes de Panem ser formada e a própria Guerra que deu origem aos Jogos. Weeping Willow traz a história de uma menina de 12 anos sorteada para os 54º Jogos, e então seu irmão mais velho se voluntaria como tributo masculino para que ela não vá sozinha à arena.
[youtube id=”o-xwmNDuGgI”]

Hardware Wars

Você acha que fan films são novidades recentes causadas pela popularização das câmeras digitais e smartphones? Nem um pouco. Hardware Wars é, simplesmente, o fan film de Star Wars favorito do diretor George Lucas. Feito 1978, é totalmente genial, numa paródia das mais bem feitas e fiéis à trilogia original – e, justamente por isso, é preciso conhecer bem os filmes para poder entendê-lo.
[youtube id=”0ymFxkFfIhU”]

The Hunt for Gollum

Outro fan film maravilhoso, também na minha lista pessoal de favoritos. Feito nos moldes da primeira trilogia de Peter Jackson, a história é uma prequel d’A Sociedade do Anel, seguindo a cronologia literária onde após Bilbo deixar O Condado, Gandalf foi em busca dos rumores sobre o Um Anel e pede a Aragorn, um Dúnedain, que encontre a criatura Gollum (daí o nome The Hunt for Gollum) antes que possa revelar à Sauron o paredeiro de seu anel de poder e por em risco a Terra Média. Ele tem cerca de 38 minutos (a versão legendada postada aqui tem o dobro disso, provavelmente para tentar impedir um strike do youtube) e é muito muito bom, não será tempo desperdiçado.
[youtube id=”V6y-o-DM3l4″]

Power /Rangers

Adi Shankar (o mesmo do fan film do Justiceiro ali em cima) e Joseph Khan (premiadíssimo diretor de videoclipes) fizeram um trabalho incrível com um ícone da infância, os Power Rangers. Com um tom realista, a história conta o que aconteceria caso O Império das Máquinas fizesse um acordo com os líderes humanos para que cessasse a guerra entre estes e os rangers: o império cederia sua tecnologia à humanidade, enquanto os antigos heróis deveriam ser banidos e/ou mortos. A trama segue Rocky (o segundo ranger vermelho, que assumiu depois da saída da Jason) que se aliou ao Império das Máquinas e agora caça seus ex-companheiros. Rocky está interrogando Kimberly (a primeira ranger rosa) para descobrir o paradeiro de Tommy (ranger verde/branco) e entregá-lo ao Império. Nos diálogos descobrimos o que aconteceu com os outros rangers da primeira temporada de Mighty Morphin – e não é nada que você possa estar esperando. O sucesso de Power /Rangers foi tão grande que os fãs queriam um longa metragem nos moldes deste, algo que foi totalmente abolido pela produtora oficial da franquia – que inclusive fez o Youtube banir o vídeo, ficando o original disponível apenas no Vimeo. Também é um dos meus favoritos.
[youtube id=”Z4bO-xAdFwo”]

The Greater Good

The Greater Good é um filme de Harry Potter que faz referência direta à juventude de Alvo Dumbledore, quando este era amigo próximo de Gellert Grindelwald, ambos ainda eram estudantes e antes que o último tornasse o maior bruxo das trevas até a ascensão de Voldemort. Nele descobrimos como o diretor se tornara ferrenho defensor do bem e o motivo de recusar o posto de Ministro da Magia britânico, além de conhecer seus irmãos: Aberforth e Ariana, uma menina instável que enlouqueceu quando criança e cujos poderes podem explodir a qualquer instante. Com cerca de 20 minutos o vídeo mostra a canônica cena (ainda que um pouco diferente da descrita no livro) do “trielo” em que Grindelwald, Alvo e Aberforth mostram que nem tudo vale pelo Bem Maior.
[youtube id=”OGHBwk0quxs”]

Born of Hope

Estel é um dos nomes pelo qual Aragorn é conhecido, e significa Esperança – o que dá o nome para esse fan film. Born of Hope: The Ring of Barahir é do mesmo canal que produziu The Hunt of Gollum, e desta vez traz a história de Arathorn e Gilraen (os pais de Aragorn), suas origens e seu romance, além de de aprofundar na vida e funcionamento dos Dúnedain, os últimos descendentes dos reis de Arnor (o reino numenoriano do norte), parentes distantes dos antigos reis de Gondor (Elendil, fundador dos dois reinos tinha dois filhos, Anárion que deu linhagem aos reis de Gondor e Isildur que através do filho Valandil deu origem aos reis de Arnor) e em porque Aragorn foi criado em Valfenda. O filme é realmente ótimo e tem duração de 1h11m, perfeito para um fã de Tolkien.
[youtube id=”qINwCRM8acM”]

The Dalek that time forgot

Doctor Who é a maior série de ficção científica do mundo: são 50 anos encantando o público que segue a vida e as encarnações do Doctor, um Time Lord que foge de seu planeta natal, Gallifrey, pra viver aventuras através do tempo e do espaço com sua TARDIS. O Doutor tem um inimigo clássico, responsável por causar a Guerra do Tempo, os Daleks. Entretanto, o que nós sabemos deles além de sua vontade destrutiva? A premissa de The Dalek that time forgot é contar a história do Dalek Caan, o responsável por salvar toda a raça Dalek da destruição da Guerra.
[youtube id=”Fbf28RPy4FY”]

Troops

Basicamente, Troops é um Polícia 24h versão stormtrooper. Sim, exatamente isso. O filme traz o cotidiano dos troopers no planeta Tatooine – o planeta que Luke mora com seus tios antes de todas as revelações de Uma Nova Esperança. Extremamente hilário, esse clássico de 1997 é uma das paródias mais amadas pelos fãs de Star Wars.
[youtube id=”LvswNDAAZCU”]

Light of Hope

Light of Hope não é como nenhum filme live action de Dragon Ball que você tenha visto (e isso é ótimo). A websérie mostra um mundo em que todos os Guerreiros Z – Piccolo, Goku, Vegeta –  estão mortos e a única resistência que existe é formada por Gohan e seu discípulo, Trunks, e é responsabilidade de ambos salvar o mundo dos Androides nº17 e nº18. Sério, dá de 1000 em Dragon Ball Evolution. Ainda que não seja perfeita, mas feito por um canal que manja muito dos paranauê, a Machinima. Imagina o que eles poderiam fazer com os milhões da indústria e das grandes produtoras?!
[youtube id=”opji5DgE_nQ”]

City of Scars

City of Scars traz um Batman clássico: o Morcego tem de capturar o Coringa, que novamente fugiu do Arkham e que, no caminho para enfrentar seu arqui-inimigo morcego, acaba criando uma trilha de morte e destruição. O longa também mostra o lado psicológico do herói, que questiona sua própria mente e suas ações enquanto combatente do crime.
[dailymotion id=”xv7392″]

Escrito por Leh

Leh

Estudante de Psicologia, feminista e com um gosto eclético pra séries, livros e coisas da vida em geral, entretanto seu verdadeiro amor é o Criminal Procedure.
Não a julgue por esse fato.

291 posts