Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Orange Is the New Black S03E01 – Mother’s Day

Cuidado – Spoilers à frente!

Nossas uniformizadas de Litchfield voltaram! Sei que já tem uns dias do lançamento dessa nova temporada de Orange Is the New Black, mas o amor da Netflix é justamente esse: poder assistir aos eps quando quiser <3 (e de novo, e de novo…).

Pois bem, depois da fuga da Rosa e da consequente morte da Vee, o regime na penitenciária parece que ficou mais leve, pra compensar os últimos descompassos. O diretor, Caputo, anda tão gentil que topou até um dia das mães entre grades, com direito a decorações do Cinco de Mayo – comemorado pelos mexicanos – e uma piñata (vazia de doces rs – um belo simbolismo pra vida “vazia de alegrias” das crianças com mães presas).

Nesse clima de balões e confraternização, o foco do seriado deixa de ser Piper, e acompanhamos vários personagens – através de flashbacks com suas mães ou filhos.

OITNB s03e01 mothersday

Daya, encarcerada com a mãe e esperando um filho do policial Bennett, é outra que só empurra com a barriga (literalmente, rs). Além de ter que disfarçar pra todos que o filho seria do Bigode – inclusive pra falsa sogra, enquanto Bennet tenta constrangedoramente criar uma atmosfera familiar, tem que cuidar dos irmãos mais novos e enfrenta a possibilidade de ver seu bebê nascendo atrás das grades para depois ser retirado dela. Só essa história já é uma baita advertência contra sexo inseguro.

OITNB s03e01 daya

Mas essa questão não para por aí. Em um momento marcante, acompanhamos o funeral simbólico dos abortos de Pennsatucky – que começou o seriado como a vilã louca e religiosa, e agora vem se desdobrando em uma personagem pra lá de esférica. Sinto que vem coisa por aí.

OITNB s03e01funeral

freakonomicsE a conversa dela com a Big Boo (maravilhosa na fantasia), que menciona o livro Freakonomics, sobre teoria econômica, pra falar dos abortos da colega, em especial um capítulo – Where have all the criminals gone? – que questiona pra onde foram os criminosos depois da legalização do aborto nos EUA em 1973, pois viu-se uma queda na taxa de criminalidade na próxima geração. Essa queda na criminalidade estaria relacionada ao menor número de bebês nascidos em ambientes pobres, em meio às drogas, à violência, que seriam negligenciados, abusados e por aí vai. Big Boo consola Pennsatucky, indicando que seus bebês, caso tivessem nascido, muito provavelmente teriam destino parecido – e que ela foi uma boa mãe para eles, por ter sabido decidir se conseguiria criar os bebês bem ou não.
Pesado, mas um choque de realidade.

OITNB s03e01 penns and big boo

Nossa querida Sophia reencontra seu filho, e tem de lidar com uma parte de si ainda incompleta: ela se sente mais pai ou mais mãe do menino? E isso me faz refletir: qual é, na verdade, a diferença entre pai e mãe? Cada um deveria ter papeis diferentes na educação de um filho? Ou tudo não passa da mesma coisa, sendo a diferença apenas uma questão de gênero?
Em um flashback dela antes de sua transição de gênero (em cena gravada pelo irmão gêmeo da atriz, M. Lamar), podemos ver que o amor é o mesmo, incondicional.

OITNB s03e01 sophia and kid

Porém, ao dar conselhos amorosos para seu filho, ela solta que é pro menino achar uma garota realmente insegura e praticar com ela – desse jeito, quando ele achar alguém de quem realmente goste, vai saber o que fazer. E o filho responde, “você realmente quer viver num mundo em que as mulheres são tratadas assim?” (Palmas pra esse moleque, gente!!!). E ela responde que sim. 🙁
Onde foi parar a sororidade, meninas?

Apesar da volta da Alex, cercada de mistérios e olhos roxos, essa trama ficou bem de lado, com apenas algumas cenas de reconciliação entre ela e Piper. Morno que só.

OITNB s03e01alex e piper

E foi isso. Esse episódio me pareceu mais um remember mesmo, sem muita novidade, pra nos preparar pro que vem por aí. Quero só ver!

Compartilhar, , Google Plus, Pinterest,

Escrito por Adriana Fernandes

Adriana Fernandes

Estudante de biologia na UFSCar, tenta entender a lógica de tanta asneira científica dentro das séries de TV. O vício dramatúrgico vem desde pequena, aficcionada por livros e quadrinhos. Atualmente, cria seus próprios dramas na vida real.

72 posts